Educação Financeira 11 de fevereiro de 2021 Imagem de seta

4 lições de Educação Financeira que a pandemia ensinou

mão segurando uma nota fiscal apontando para o sentido direito representando a educação financeira na pandemia

A pandemia causada pela Covid-19 trouxe consequências terríveis para a saúde e economia, por isso, neste ponto, a Educação Financeira fez muita falta. Com o desemprego, redução de salário e dívidas, ficou difícil para grande parte da população. Mas quais as lições que podemos tirar de tudo isso? Confira abaixo!

4 lições de Educação financeira na pandemia

Segundo o Instituto Paraná Pesquisas, o impacto financeiro da crise foi sentido por 82,8% da população brasileira. Para a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), metade dessas pessoas não possuíam reserva de emergência.

Entenda de uma vez por todas a importância da reserva de emergência e como estar pronto para imprevistos!

1 – Prevenir sempre é o melhor remédio

Frase clichê que muita gente ainda não aprendeu, principalmente quando falamos de Educação Financeira. Os dados alarmantes mostram como os brasileiros não pensam em situações emergenciais.

A pandemia veio para mostrar não só a importância da reserva de emergência, como também reforçar que ela precisa ser maior. Como assim?

Na reserva é importante que seja feito um cálculo dos seus gastos fixos (aluguel, financiamentos, água, luz, alimentação, etc) e esse seja a base para a economia de, pelo menos, seis meses para se manter com aquele valor, certo?

Agora, veio a crise e com ela a inflação e escassez de matéria prima, fazendo com que o aluguel, a comida e outros itens aumentassem (muita gente teve que tirar o arroz da lista de compras, não é?). Isso tudo mostrou que é sempre importante que essa reserva ultrapasse aquele valor inicial para que você não fique no sufoco.

Aproveite e confira essas 8 super dicas de como economizar no supermercado!

planilha de gastos

2 – Tenha controle da sua vida financeira

O mais importante para ter uma vida financeira saudável é ter controle dela. Pensando nisso, a gente preparou uma planilha de controle de gastos pessoais totalmente gratuita para você!

Primeiro, é importante juntar tudo o que entra – se tem mais de um trabalho, se faz bico no fim de semana, se há renda extra -, tudo precisa ser anotado para que você tenha consciência do que entra no seu bolso.

Depois, é importante que você separe os gastos essenciais (luz, água, alimentação, transporte, aluguel, etc). Lembrando que academia pode ser essencial para uns, assim como o salão de beleza pode ser para outros. É importante que você entenda as suas necessidades básicas.

E, por fim, ir para os gastos variáveis que pode ser cinema, salão de beleza/barbearia, festas, presentes, comer fora, entre outros.

Quando você passa para a planilha consegue entender como funcionam os seus gastos, se eles estão de acordo com o seu orçamento e como é possível economizar.

Por exemplo, você tem utilizado o seu 13º salário da melhor forma? Descubra aqui!

3 – Não gaste mais do que você ganha

Parece óbvio, mas não é! Principalmente quando não se tem o controle dos gastos, pois muita gente acaba se endividando por gastar mais do recebe.

A pandemia evidenciou que o consumismo é um grande problema da nossa população, afinal as compras on-line dispararam. Imagina que as pessoas não estavam saindo de casa e, mesmo assim, não abriram mão de comprar várias roupas novas. Pois é! O ócio acabou fazendo as pessoas comprarem sem necessidade.

Veja 6 coisas que você não precisa comprar na pandemia e que foram recorde de vendas!

Mas muitas pessoas aprenderam que podem viver muito bem com menos, mesmo que a lição tenha sido aprendida de uma forma difícil. O que é importa é que, sim, é possível viver com menos e se você controlar o seu dinheiro direitinho, nem vai precisar abrir mão de tanta coisa quanto você pensa.

4 – Poder de negociação

A pandemia também trouxe outra importante lição de Educação Financeira: a negociação.

Com o desemprego, a redução de salários e um cenário econômico completamente instável, a negociação foi utilizada por diversas empresas para não quebrar. Confira 4 dicas de como negociar o aluguel!

As pessoas precisavam negociar os seus aluguéis, seja ele de moradia ou do seu negócio. As instituições financeiras também ofereceram redução de juros e renegociação das dívidas dos seus clientes.

A pandemia não acabou, mas lições financeiras valiosas importantes para o futuro das pessoas podem ajudar a alcançar a liberdade financeira e não passar o mesmo sufoco que enfrentamos. 


Voltar