Educação Financeira 13 de agosto de 2020 Imagem de seta

Seguro-desemprego: 4 dicas para o benefício durar mais

Seguro desemprego  veja X dicas para o benefício durar mais

Só no primeiro semestre de 2020 houve um aumento de 15% nos pedidos de seguro-desemprego em comparação ao mesmo período do ano passado e, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os efeitos da pandemia deixou metade dos brasileiros aptos sem trabalho.

Além disso, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), SPC Brasil e Sebrae, estima que a busca por um novo emprego será de 15 meses.

Esses números não são animadores, e sabemos que, o seguro-desemprego e o auxílio emergencial foi a salvação de muita gente durante essa pandemia.

Por isso, vamos te ajudar a se organizar para que o benefício dure mais. Confira!

Seguro-desemprego: faça ele render com essas 5 dicas

#1 Planejamento

Não existe organização financeira sem planejamento. É importante ter uma reserva de emergência, mas se não for o seu caso é preciso ir pra ponta do lápis.

Some o dinheiro que você tem guardado, coloque tudo que vai entrar nos próximos 6 meses – seja com o seguro desemprego ou com uma média de suas rendas extras.

Anote todas as suas dívidas, parcelas em andamento, empréstimos e veja a possibilidade de um refinanciamento ou algum tipo de acordo para que você não fique com o nome sujo.

Coloque todos os eu gastos essenciais: água, luz, internet, aluguel, comida e tudo que você considere essencial. Ao lado, faça uma lista dos gastos não essenciais (manicure, barbeiro, compras, presentes, viagens, etc).

Dessa forma, com tudo no seu campo de visão, você tem um panorama de como é sua vida e o que vai ter que mudar para se adaptar. Vai depender também se você é sozinho (a), se divide apartamento, se é casado (a), se tem filhos (as), etc.

#2 Negocie com seus credores

Negociar faz parte de qualquer negócio, ainda mais em momentos como este. Se você paga aluguel converse com o proprietário para baixar o valor por alguns meses, por exemplo.

Se tiver dinheiro guardado, pode ser uma boa hora também para negociar dívidas ou antecipar parcelas com desconto à vista. Não tenha vergonha de pedir desconto!

#3 Corte gastos

Apesar de serem gastos essenciais, muita coisa pode ser enxugada. Se ir ao salão é essencial para você, em vez de ir toda semana, vá de 15 em 15 dias ou uma vez ao mês.

A conta de luz é algo que se pode trabalhar para diminuir, não deixar equipamentos em stand by, não usar ou diminuir o uso do chuveiro elétrico, tentar não usar aparelhos eletrônicos ou lavar roupa em horários de pico onde o valor é maior.

A mesma coisa com a água, diminua o tempo no banho, não deixe as torneiras ligadas sem uso, não use mangueira, reutilize água para dar descarga – sabia que a cada descarga se utiliza cerca de 6 litros de água? Pois é, a palavra da vez é economia!

Quantos serviços de streaming você possui? Netflix, Prime, HBO, Globoplay, Spotify, Deezer, Apple Music, etc. É hora de cortá-los, ou no máximo, deixe apenas um. 

Cuidado com as compras nos aplicativos e exclua todo app de compra que possuir para não cair na tentação de dar uma olhadinha nas promoções.

Ah, mas se algo essencial acabou, não esqueça de pesquisar bem e aproveitar as liquidações para adquiri-los.

Se você mora de aluguel e mora sozinho, talvez seja a hora de voltar para a casa dos pais nesse momento para economizar ou procurar alguém para dividir a casa e as despesas.

planilha de gastos

#4 Renda extra + Seguro-Desemprego

Com um cenário complicado para os empregos formais, muita gente foi atrás do trabalho informal para ter uma renda ou complementar o benefício ou o auxílio emergencial.

Exemplos: venda de máscaras, vender bolos, salgados, docinhos, marmitas, serviços de internet, blogs, entre outros.

Agora é a hora de pensar fora da caixa para complementar o benefício e juntar dinheiro para sua reserva de emergência.

Veja como ganhar um extra fazendo o que gosta!

#5 Reserva de Emergência

Se você nunca fez, aposto que está vendo como ela seria importante em momentos como estes. E não precisa ser uma pandemia, viu? Acidentes, doenças, demissões, muitos motivos para você não deixar de fazê-la.

Se conseguir se organizar e pagar tudo direitinho, deixe uma parte para construir a sua reserva e não passar sufoco.

Agora que tem um panorama de quanto precisa pra viver por mês, multiplique por seis – quantidade de meses – é essa quantia que você precisa para sua reserva.

A inteligência emocional é fundamental em situações como essa. É preciso manter a calma e ser racional para sair dessa o mais rápido possível e voltar ao mercado de trabalho.

Veja também: Como não deixas que as suas dívidas virem uma bola de neve!


Voltar